Não sendo dos sistemas mais usados, o Ubuntu tinha uma presença no mundo dos smartphones que seguia uma filosofia alinhada com o resto dos produtos da Canonical.

Hoje, de forma surpreendente, a empresa anunciou que vai abandonar a interface Unity, voltando ao Gnome. O impacto pode não parecer grande, mas leva a que a Canonical abandone o mercado dos smartphones.

Era através da interface Unity que o Ubuntu mantinha ativa a sua filosofia de convergência, tendo um sistema transversal, mas que se adaptava às diferentes plataformas.

Esta era a ideia de Mark Shuttleworth, o mentor da Canonical, e que estaria a ser desenvolvida para este sistema. Hoje, numa publicação feita no blog do Ubuntu, Shuttleworth veio revelar que a empresa vai abandonar os desenvolvimentos na Unity e virar-se para áreas mais úteis ao Ubuntu e a todas as áreas onde atua.

Para suprir esta falha, o Ubuntu vai voltar a virar-se para o Gnome e já a partir da versão 18.04 LTS será este o ambiente gráfico adotado.

O fim do Unity representa um golpe nas aspirações do Ubuntu de conquistar novas plataformas, entre elas os smartphones e os tablets. O Gnome não está adaptado a estas áreas e a empresa não irá desenvolver um ambiente gráfico próprio para estes equipamentos mais pequenos.

Mark Shuttleworth admitiu que a sua visão de convergência estava errada e que todos os esforços feitos não levaram o Ubuntu ao caminho que queria, acabando por criar um cenário oposto, o da fragmentação.

A aposta da Canonical vai voltar-se para a Cloud e para a IoT, sendo estes agora os caminhos definidos para o Ubuntu e para os desenvolvimentos da empresa.

Via: Ubuntu e pplware

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta