No início do negócio, é óbvio que o empreendedor quer crescimento. Claro que pode haver desânimo com as dificuldades que aparecem no caminho, por isso, é preciso que haja paciência e determinação para atingir os objetivos.

Segundo artigo publicado pela Pequenas Empresas & Grandes Negócios, são apresentadas algumas ferramentas importantes para o crescimento de uma empresa, como é o caso da ‘matriz de gestão do tempo’. O que quer dizer? Que com a rotina exaustiva, o empreendedor precisa diferenciar o que é mais importante e o que não merece a sua prioridade.

Segundo esse conceito, é necessário que se preencha quatro categorias:

  • Não importante, porém urgente;
  • Importante e urgente;
  • Importante e não urgente;
  • Não importante e não urgente.

Para cada uma dessas categorias é preciso que o empreendedor indique uma ação a ser tomada desde ‘faça agora’ até ‘elimine da lista’.

Essa gestão do tempo é fundamental porque quando se define quais são as prioridades, perde-se menos tempo com o que não é tão importante e urgente, e assim, o tempo é melhor aproveitado na tomada de decisões estratégicas.

5 dicas para o crescimento da pequena empresa

1. Equilíbrio financeiro

Basicamente é importante que o empreendedor estabeleça quais são as despesas e receitas e, com essas informações, faça os ajustes necessários. É fundamental que os objetivos estratégicos sejam definidos, assim como uma planilha de pagamentos e recebimentos.

É preciso elaborar um fluxo de caixa que sirva como pilar para todas as decisões que envolvem investimentos. Não se pode falar em gestão financeira sem falar no capital de giro, que é fundamental que seja planejado, para manter o equilíbrio entre prazos para pagamentos e recebimentos, os desperdícios também podem ser evitados por meio dessa ferramenta de gestão financeira.

2. Valor à equipe

Para o crescimento da pequena empresa é preciso valorizar a equipe e investir em seu crescimento. Identifique quais os talentos dentre os funcionários e procure sempre prezar pelo aperfeiçoamento das habilidades por meio de treinamentos.

3. Separe as contas pessoais das contas da empresa

Um dos erros mais recorrentes dentre as pequenas empresas é a não separação das finanças pessoais das finanças da empresa. Não se pode misturar essas rendas, a falta de organização pode gerar problemas na contabilidade do negócio, problemas tributários, entre outros. A definição de um pró-labore fixo também é importante e, em casos em que as despesas pessoais saíram do controle, é importante ter essa disciplina de não usar as finanças do negócio para fins pessoais;

4. Priorize a satisfação do cliente

Procure sempre investir em atender cada vez melhor o cliente, que é a razão do negócio. De forma alguma ignore as críticas, pelo contrário, procure conversar e entender os seus clientes, tenha empatia com os problemas que ele tem e pense como os seus produtos/serviços podem solucionar esses problemas;

5. Não tema a concorrência

É preciso conhecer os concorrentes, mas não os temer. A partir da análise da concorrência é importante pensar no que pode ser oferecido como diferencial. Por que o público preferiria os seus produtos/serviços ao invés da concorrência? Vale a reflexão.

Comentários

Comentários