Se um cliente é “habitué” de um estabelecimento, ou seja, sua presença é recorrente e reconhecida pela empresa, nada mais justo do que beneficiar esse consumidor por sua fidelidade e também demonstrar suas vantagens a outros clientes que podem se tornar frequentes.

Esse é o mercado de fidelização, que pensa em estratégias para conquistar essa frequência das pessoas e impedir que busquem outros comércios e opções, propondo vantagens e valorizando o cliente que quanto mais for, mais acumula algum tipo de incentivo por parte do empreendedor.

Este mercado pode ser criado de diversas formas: quando o cliente ganha uma entrega grátis após alguns pedidos em um restaurante, ou a troca de pontos de cartão de crédito por objetos.

De forma ainda mais simples, muito utilizado no ramo alimentício, o local oferece um cartão que pode ser carimbado ou colado um selo em toda visita, e após uma quantidade determinada de visitas, ganha desconto ou cortesia na refeição. 

Benefícios para quem compra e quem vende

O mercado de fidelidade prevê vantagens tanto para o empreendedor quanto para o consumidor. O comércio ganha prestígio, consegue fazer a manutenção de clientes (que ainda podem fazer a divulgação orgânica da empresa) e lucrar.

Quem compra e já gostava do lugar por um motivo, passa a ficar ainda mais satisfeito e motivado a retornar, e ainda ganha um incentivo para isso. Seja uma entrega grátis, uma refeição, uma sobremesa, a oportunidade de ganhar alguma coisa como recompensa pela fidelidade é sempre muito válida.

A importância do cliente

Empresas que apostam nesse mercado são aqueles que reconhecem e valorizam o seu cliente, a troca entre empresa e consumidor final, sem considerá-los apenas meios para um fim, valorizando também o processo humano que há por trás das escolhas do seu “habitué”.

Essa estratégia é muito ampla, conseguindo atrair e respeitar diferentes públicos, de faixas etárias, classes e gêneros diferentes. 

Mercado em expansão

Dados levantados pela Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) comprovam que esse mercado segue crescendo, ampliando ano a ano a quantidade de pessoas que se cadastram em programas de fidelização. 

Em 2019, cerca de 148 milhões de brasileiros participaram de algum tipo de fidelidade e este mercado faturou R$7,7 bilhões apenas em 2019.

Comentários

Comentários